A parte mais importante do corpo: O ombro…

2 Comments

Clique nos ícones e compartilhe!

“Hoje passei por uma experiência muito triste que jamais esquecerei em quanto vida eu tiver, tive a infelicidade de encontrar um amigo de muitos anos daqueles amigos queridos, na condição de mendigo, vivendo na rua, Primeiro Sargento da Marinha, deitado sobre papelões embaixo de uma marquise, sem acreditar, voltei e constatei que era ele mesmo, as lágrimas vieram na hora, difícil crer…viajamos muito juntos, comemos na mesma mesa, dormimos no mesmo beliche e dividimos camarotes nos navios nos quais servimos, foi como tivesse levado um soco na boca do estômago… como pôde a situação chegar aquele ponto meu Deus, porque não pediu ajuda? a que ponto chega um ser humano sem fé, alto estima? fedendo a cachaça, sujo, faminto, um veterano que fez muito pela pátria, excelente militar, profissional e acima de tudo ser humano, queria disfarçar o choro mas foi mais forte que eu, não consegui, por alguns segundos passou um filme, a nossa época na Marinha, a vaidade com que ele se vestia e andava, como pôde se tornar no que se tornou? conversando ele me falou que de tanto pagar pensões alimentícias, dívidas acumuladas, a pandemia e principalmente o alcoolismo o empurraram para a rua, triste demais, consegui fazer com que ele almoçasse oque não acontecia a 3 dias segundo ele, botei no meu carro e o levei para o Hospital Marcílio Naval Dias, onde expliquei ao médico supervisor da emergência, o deixou sob os cuidados médicos no soro, ressalvo que foi super humano e solidário a situação, me encaminhando a Assistente Social, que tentou conversar para localizar algum parente, fiquei sabendo que os parentes moram em Guapimirim, peguei o endereço e depois de muito procurar achei a casa da esposa, fiquei mais triste ainda pois ela me contou que ele se envolveu com uma mulher que tirou tudo dele e ele com vergonha de voltar optou por morar nas ruas, mas mesmo assim ela entrou no carro comigo e foi para o hospital dar um apoio a ele, o gesto dessa senhora me comoveu muito…compaixão tão difícil nos dias de hoje, a deixei no hospital provi um pouco dinheiro para ajudar e prometi voltar na próxima semana. Meus amigos oque a vida me ensinou com essa triste situação: a parte mais importante do corpo não é o cérebro nem tão pouco o coração, tenho certeza que é o ombro, pois quem não é capaz de oferecer um ombro a seu irmão não é digno de um cérebro nem tão pouco de um coração.”

Parabéns Marcos Vinícus Oliveira pela sua atitude ímpar!
Está exercendo a essência verdadeira de um ser humano!
Que possamos a cada dia aprender, reaprender e refletir sobre os preceitos sagrados de amor ao próximo.
Tens o respeito e a admiração da Família Militar!
Bravo Zulu!

2 thoughts on “A parte mais importante do corpo: O ombro…”

  1. E AMIGO INFELIZMENTE EXISTE MILHARES DE GRADUADOS NESSA SITUAÇÃO E NÃO PORQUE MULHER TIROU TUDO MAS SIM POR EXISTIR OFICIAIS CANALHAS QUE SÓ PENSAM NELES E UM PRESIDENTE SAFADO E CANALHA. EU GOSTARIA E QUE TODOS OS GRADUADOS PEGASSEM NAS ARMAS TOMASSEM CONTA DAS UNIDADES MILITARES SÓ ASSIM ESSE GOVERNO CANALHA TOMARIA UMA ATITUDE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *